‘Sex Shop’ é a volta de Ivan Ângelo à literatura - Estadão

‘Sex Shop’ é a volta de Ivan Ângelo à literatura - Estadão
AMAZON MUSIC FREE
Aos 86 anos, Ivan Ângelo não pensa em parar de escrever. Profissional das letras desde os anos 1950, ele estreou na literatura com o conto Culpado Sem Crime, premiado pela prefeitura de Belo Horizonte em 1954. Em 1959, saiu sua primeira seleta de contos, Homem Sofrendo No Quarto, para, em 1961, começar a esboçar A Festa, que revela a veia de contista do escritor ao explicitar o cruzamento dos gêneros literários – o romance foi publicado 15 anos depois, em 1976, quando a ditadura militar abrandava.

Com A Festa, Ivan Ângelo ganhou seu primeiro prêmio Jabuti, feito que voltou a acontecer em 1996, pelo livro Amor? (Companhia das Letras), publicado um ano antes. Mudou-se para São Paulo nos anos 1960 e trabalhou em diversos jornais e revistas, fazendo do jornalismo seu ganha pão. Sex Shop Miscelânea Libidinosa (Faria e Silva), é um apanhado de contos, crônicas e aforismos reunidos durante anos de produção em ritmo quase industrial.

Os dilemas amorosos são marca de sua obra, sua vasta produção de crônicas, algumas delas no volume. Em entrevista ao Estadão, o autor reflete sobre as possibilidades da escrita, o sexo como produto literário e o Brasil.