Direito do consumidor: evite que seu pacote de viagem vire um transtorno - Correio Braziliense

Direito do consumidor: evite que seu pacote de viagem vire um transtorno - Correio Braziliense
Pacotes de viagens estão entre as opções mais procuradas ao planejar a ida a um destino turístico. Muitos consumidores têm essa preferência devido à facilidade de, em um só lugar, numa única negociação, poderem contratar traslados, passagens aéreas, hospedagem, passeios e — eventualmente — até guia e refeições. Mas essa aparente zona de conforto pode trazer surpresas desagradáveis, quando a pessoa ignora detalhes. Algumas empresas e agências que oferecem esses serviços concentrados, acabam fornecendo dores de cabeça ao invés de satisfação.

Foi o que aconteceu com Gustavo Alves e sua tia Marineide Alves. Eles, que acreditavam haver contado com um assessoramento correto para saírem em uma viagem feliz, na qual levariam outros parentes e com os quais dividiram esse custo, acabaram saindo lesados. Juntos, compraram um pacote, em datas abertas, para Santiago, no Chile, que incluía os voos de ida e retorno ao Brasil.

Feita a aquisição, Marineide e Alves enviaram três sugestões de datas para a empresa. A companhia, porém, disse que nenhuma delas estava disponível e apresentou outras que sequer se aproximavam às dos períodos que os clientes propuseram. Devido a isso, alguns familiares desistiram do passeio e pediram o dinheiro de volta a ambos. Tia e sobrinho, contudo, decidiram manter a compra e persistiram, mais duas vezes, na busca de dias que os atendessem, objetivo que não alcançaram com o vendedor.